• RX Portugal

RXPortugal by Diatosta ao rubro ao virar da primeira metade da época

Atualizado: Ago 22

Nem mesmo as competições que têm conhecido pilotos mais dominadores estão isentas de emocionantes lutas pela liderança da classificação geral.


Com quatro provas já disputadas, a época de 2021 do Campeonato de Portugal de Rallicross e Kartcross by Diatosta, a primeira sob a égide da GO.NOW Motorsport, já ultrapassou o ponto de não retorno, que é como quem diz, está já para lá meio e com o final cada vez mais perto.



Num ano ainda fortemente afectado pela pandemia da Covid-19, com o arranque da temporada um pouco atrasado, uma prova adiada, outra troca e, até ao momento, sempre sem público presente nas bancadas dos traçados de Lousada, Montalegre e Sever do Vouga, nem por isso a competitividade e as emoções têm sido poucas. Pelo contrário!

No Kartcross, que conta habitualmente com uma das listas de inscritos mais preenchida, o Campeão em título Jorge Gonzaga foi o primeiro a bisar no mais alto do pódio com os triunfos nas rondas de Sever do Vouga 1 e Montalegre 2, mas nem por isso logrou chegar à liderança. Essa está a cargo de Alexandre Borges, fruto de uma maior regularidade, isto apesar de uma só vitória. E os que pensam que só há luta animada pela primeira posição da tabela pontual, desenganem-se! Gonzaga, que é segundo da geral, tem forte oposição por parte de Luís Almeida (3º), Rui Nunes (4º) e Tiago Freitas (5º), todos eles suficientemente próximos para lhe roubarem o intermédio do pódio já no início de Setembro, aquando do regresso do RX Portugal by Diatosta às pistas com a visita a Mação. Quem também já conta com um triunfo este ano é Santinho Mendes, que só não está mais perto da frente devido à ausência forçada na primeira visita ao traçado do Alto do Roçário.

Outra categoria em que as vitórias parecem ser para quem as agarrar é a reservada às 2 Rodas Motrizes, que ainda não conheceu um repetente no mais alto do pódio. Celmo Guicho entrou ao ataque, e continua na liderança da tabela pontual, mas não tem tido margem para descanso. Bruno Campos, tal como Guicho, fez o pleno na segunda ronda da época, enquanto Adão Pinto foi o melhor na terceira jornada e Andreia Sousa foi para férias com o triunfo em Montalegre 2 no bolso. Prestações que mostram bem o elevado nível de competitividade e que fazem com que até o sexto classificado, Fernando Silva, tenha possibilidades matemáticas de assumir o comando das hostilidades já em Mação.

Já na Super 1600, a categoria mais concorrida do Campeonato de Portugal de Ralicross by Diatosta, João Ribeiro tem dominado os acontecimentos até ao momento, mas nem por isso as emoções são menores, com a luta pelo segundo posto ao rubro. Mário Barbosa e André Sousa são os protagonistas deste emocionante duelo em que ambos têm respondido à letra às prestações de cada um. Neste momento, a vantagem está do lado de Barbosa, com mais quatro pontos que Sousa, mas tudo pode mudar de um momento para o outro. Ainda para mais quando Jorge Machado, um dos apenas dois pilotos que já conseguiu bater Ribeiro, surge sorrateiramente em quarto, a apenas 10 pontos do terceiro.

Enquanto isso, os Iniciados e a Nacional 1.6 têm tido pilotos dominadores e que apenas por uma jornada não fazem o pleno até ao momento. Nos mais novos, Rafael Rego tem ditado o ritmo, com três plenos nas três primeiras jornadas e ainda a pontuação máxima nas corridas de qualificação de Montalegre 2. Só Guilherme Nunes conseguiu travar o que parecia ser o “dono disto tudo” ao triunfar e assinar a melhor volta na final da última jornada. Já na Nacional 1.6 André Ferreira tem sido imperial desde a primeira visita a Montalegre com cinco pontuações máximas em seis possíveis e duas voltas mais rápidas em três em disputa. Isto depois de Pedro Tiago ter iniciado o ano ao ataque com a vitória em Lousada, mas depois não voltou às pistas, deixando Rafael Rocha a honra de ter sido o único a conseguir roubar uma pontuação máxima a Ferreira nas últimas três rondas.

Já na categoria rainha do Ralicross, a Super Cars, a liderança está a cargo de Joaquim Santos. O piloto do Ford Focus não tem tido vida fácil, com problemas em todas as rondas já disputadas e sem uma única vitória, mas com uma regularidade invejável. Mais vitorioso, o Campeão José Lameiro logrou já dois triunfos, isto apesar de um nulo, o que o deixa em segundo da geral e a aproximar-se da liderança. Enquanto isso, Oscar Ortfeldt, que começou o ano com duas vitórias, viu o aparatoso acidente de Sever do Vouga 1 forçar a ausência nas duas últimas provas. Resta agora ver como será a luta nesta categoria após as férias.

Emoções e competitividade ao mais alto nível numa competição que este ano passou a contar com invejáveis transmissões em directo através da internet. Uma aposta que tem dado frutos, com vários milhares de espectadores a acompanharem todas as qualificações e finais já realizadas e onde as impressionantes imagens de drone, que acompanha os concorrentes a meros dois metros de distância, a darem muito que falar e a serem o deleite de todos.


Ingredientes mais que muitos para garantir uma segunda metade de época electrizante onde nada pode ser dado como garantido e onde a mudança de posições na frente da classificação pode acontecer a qualquer momento, trazendo ainda mais interesse a um campeonato que muito retorno tem dado a todos os patrocinadores e que começa já a pensar na próxima época e em novas pistas com localizações mais austrais que Mação e Castelo Branco.

221 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
1/12